Aequo

Aproveitamento de Água da Chuva: Economia e Sustentabilidade

gotachuvaA água é um recurso natural, vital e indispensável ao homem e aos ecossistemas, além disso, ela é essencial para o desenvolvimento social e econômico. De todas as formas disponíveis, a água de chuva é a única de livre acesso a população, independente das condições econômicas e sociais.

Registros históricos indicam que a água da chuva já é utilizada pela humanidade há milhares de anos. Existem inúmeras cisternas escavadas em rochas, utilizadas para armazenamento de água pluvial, que são anteriores a 3.000 A.C.

O aproveitamento da água da chuva, que é uma prática comum em vários países para aplicações na agricultura, indústria, para uso doméstico, na manutenção de vazões e na recarga de aqüíferos subterrâneos, vem recebendo cada vez mais atenção, com o aumento nos investimentos em novas tecnologias para seu melhor aproveitamento.

No Brasil, são consumidos, em média, 200 litros de água potável por pessoa. Porém, estudos na área indicam que apenas 60% deste volume é utilizado para fins potáveis, como preparação de refeições e bebidas, lavagem de louça e higiene pessoal. Os fins não potáveis do consumo doméstico da água estão no vaso sanitário, rega de jardim, lavação de carro e lavação de roupa.

O funcionamento de um sistema de coleta e aproveitamento de água de chuva consiste, de maneira geral, na captação da chuva que cai sobre os telhados ou lajes da edificação. A água é conduzida até o local de armazenamento através de calhas, condutores horizontais e verticais, passando por equipamentos de descarte de sólidos (como folhas e detritos). Em alguns sistemas é utilizado um dispositivo desviador das primeiras águas, pois estas trazem consigo as impurezas acumuladas nas áreas de captação. Após passar pelo dispositivo de descarte de sólidos, a água é armazenada geralmente em reservatório enterrado (cisterna) e depois bombeada a um segundo reservatório elevado de onde é distribuída para os pontos de consumo não potáveis.

A água de chuva é uma água "suave", então a roupa pode ser lavada com menos sabão, o que desgasta menos a máquina de lavar roupa e carrega menos produtos químicos para o esgoto. Os jardins e hortas também vão sentir as vantagens da água da chuva, já que ela vem sem cloro. Utilizando menos água encanada, diminui-se automaticamente a conta de água e esgoto, e as companhias de água terão menos problemas de garantir o suprimento para todos. O efeito da retenção nas cisternas diminui o problema de enchentes, visto que a chuva fica armazenada, e dos sistemas de tratamento de esgoto, sempre muito prejudicadas pelas fortes chuvas.

Um caso de destaque no Brasil é o do Shopping Aricanduva, em São Paulo (SP). A construção tem 62 mil m2 de telhado, e em uma chuva forte chega a captar 7 mil m3 de água. A cidade de São Paulo já possui uma lei que torna obrigatória a retenção da chuva em novas ou reformadas construções a partir de 500 m2 de área impermeabilizada.

A gestão sustentável dos recursos hídricos colabora para o desenvolvimento sustentável de nossa sociedade. Entre em contato com a Aequo para saber mais sobre as diversas tecnologias de aproveitamento de água da chuva e como você e sua empresa podem ser beneficiados.

 

Por Roberto Buhr.